15
Dez 08

 

Quando há alguns anos conheci a sua história, fiquei impressionado. Pelo homem que, tendo muito a perder, ousou seguir a sua consciência e salvar milhares de seres humanos.


Aristides de Sousa Mendes, cônsul em Bordéus nos anos da perseguição nazi, emitiu vistos que permitiram a muitos chegar até Portugal.Foi castigado por isso. Perdeu muito. Carreira, posição, poder.
 

Porém, ganhou o agradecimento de várias gerações. Ganhou o orgulho por um homem assim, "normal", nos mostrar que a dignidade humana pode pesar muito mais no prato da balança que o prestígio, o poder, a carreira, o próprio bem-estar.

 
Sinto-me orgulhoso por, finalmente, mais de 1/2 século depois, este Homem ter direito a um Museu. Virtual, é certo. Mas, ainda assim, um Museu.
 

Vale a pena vasculhar a história deste Senhor. Não é cor-de-rosa, não teve um final feliz para ele ou para a sua grande família, mas contribuiu para um final feliz de tantos que bateram à porta daquele Consulado.

 

Visitem este Museu. Não custa nada. Não requer grandes deslocações. Está aberto 24 horas por dia. E poderão conhecer a história de um homem bom.

 

Sugiro veementemente que não percam.
Vão estar muito tempo para ver tudo mas é uma relíquia imperdível.
 
Entrem em
http://mvasm.sapo.pt/

 

 

r às 14:46

Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
20

21
24
25
26
27

28
29
31


ARQUIVO
pesquisar