11
Fev 10

 

Considerando que esta semana se realizavam dois jogos, referentes às meias-finais da Taça da Liga, atrasei este comentário uns dias para englobar estes jogos.
 
SPORTING – o Sporting voltou a perder, desta feita em casa e contra a Académica de Coimbra, curiosamente Carvalhal perde o confronto com aquele que, segundo se sabe, era a 1ª escolha para substituir Paulo Bento no Sporting, André Vilas Boas.
 
O Jogo começa com um monumental frango de Rui Patrício, na sequência da marcação de um livre directo pelo jogador Orlando da Académica. Nada melhor para a Académica que claramente gosta de jogar fechadinha, coesa defensivamente e depois explorar o contra-ataque, ao invés, tudo começa mal para o Sporting.
 
Ainda assim verificou-se uma reacção leonina, não pela qualidade futebolística demonstrada mas antes assente no coração e no querer de alguns dos seus jogadores. Aumentando a velocidade e pressionando o adversário no meio campo deste permitiu explorar um erro da Académica, bem aproveitado por João Pereira que cruza para o desvio de João Moutinho, à boca da baliza. O jogo estava novamente empatado aos 23’ minutos de jogo.
 
É certo que até ao intervalo o Sporting foi melhor que a Académica, podia mesmo ter marcado mas assim não aconteceu.
 
Na segunda parte o jogo não melhorou muito, ainda que o Sporting tenha tentado de várias formas acercar-se da baliza Academista mas tal perspectivava-se bem difícil. O Sporting podia de facto ter marcado, teve boas ocasiões para o conseguir mas o desacerto na hora da finalização custou-lhe caro. Notou-se em mais este jogo a raridade de remates à baliza executados pela equipa do Sporting, sabendo nós que quem não remata, não marca.
 
A meio da 2ª parte, através de uma bonita jogada de contra-ataque, a Académica coloca-se de novo em vantagem, mercê de um golo de João Ribeiro.
 
A Académica vencia e acreditava. Unindo-se toda atrás da linha da bola, jogando com os sectores muito juntos e diminuindo espaços à equipa verde-branca lá foi aguentando a pressão Leonina até ao final do encontro.
 
Para a história fica a 1ª vitória fora da Académica, este ano no campeonato, e uma grande penalidade clara e não marcada pelo árbitro a favor do Sporting nos minutos finais da partida, o qual e em caso de concretização poderia ter dado o empate ao Sporting.
 
 
Só devido ao facto da não marcação desta grande penalidade considero o resultado injusto.
 
Ao Sporting resta a Liga Europa para minimizar uma época para esquecer, digo eu.
 
BENFICA – Numa deslocação tradicionalmente difícil para o Benfica, embora a má posição do Setúbal na tabela classificativa, considero que o Benfica fez a pior exibição da época.
 
Se juntarmos a isto um penalti falhado, nos últimos segundos do jogo, e um golo na própria baliza, também se verifica que a sorte não abundou.
 
A primeira parte foi pobrezinha, sem controlo do jogo, com pouca pressão, baixa velocidade e poucos remates. Fica o registo de um golo para cada lado na própria baliza, facto invulgar.
 
A segunda parte foi diferente, ainda que o Benfica não tenha melhorado muito. É facto que rematou mais, que foi mais dominador, que jogou mais rápido e nos últimos 15 minutos da partida encostou o Setúbal à sua área, no entanto, a qualidade do futebol praticado não permitiu a construção de muitas ocasiões claras de golo.
 
Nos últimos segundos do jogo o Benfica dispôs de uma grande oportunidade de golo, mas Cardozo, na conversão de uma grande penalidade enviou a bola à barra da baliza adversária, desperdiçando soberana ocasião de golo.
 
No mais e quanto ao árbitro, verificou-se que teve vários erros graves, em prejuízo das duas equipas. A favor do Benfica ficam por assinalar 2 grandes penalidades. Por seu turno, o Setúbal, pode queixar-se de um golo limpo mal anulado, o qual faria toda a diferença.
 
Resultado injusto mercê do golo mal anulado ao Setúbal.
 
 
PORTO – O Porto jogava sabendo os resultados de Sporting e Benfica, em casa contra a Naval. Era curioso verificar a forma como a Naval iria entrar em campo, visto todos ainda nos lembrarmos do porta aviões que colocou em campo no Estádio da Luz.
 
De facto e apesar do seu treinador dizer, depois do jogo, que não queria que a equipa jogasse assim, o que é facto é que mais uma vez a Naval jogou completamente à defesa.
 
O jogo começou lento, sem interesse especial, sem oportunidades de golo, jogado a baixa velocidade, com poucas oportunidades de golo até que aos 38’ minutos, o árbitro marcou livre indirecto dentro da área da Naval, lance que considero, no mínimo discutível, no seguimento do qual Tomás Costa inaugura o marcador para o Porto.
 
Após o intervalo o jogo foi diferente, a Naval apareceu com vontade de discutir o jogo e é facto que até criou pelo menos uma excelente oportunidade de golo não concretizada. Logo de seguida e já aos 80’ minutos Falcão faz o 2 a 0 e Varela aos 89’ fixa o marcador final. Porto 3, Naval 0. Este resultado é enganador, principalmente pelo que fez a Naval na 2ª parte, até os adeptos do Porto assobiaram a equipa, com receio de que a Naval chegasse ao empate.
 
Ainda assim resultado justo.
 
BRAGA – o Braga já merece ser comentado devido ao lugar que ocupa na tabela classificativa e do excelente campeonato que tem vindo a realizar.
Deste modo, comento ainda que de forma abreviada a difícil e suada vitória no Restelo.
 
O jogo começou mal para o Braga, que logo muito cedo viu ser expulso o seu central e ser marcada contra si uma grande penalidade, mas no meio do azar teve um pouco de sorte. Eduardo defendeu a grande penalidade.
 
Depois, mais sorte, o Belenenses jogou bem, melhor que o Braga, teve várias oportunidades de golo mas não marcou e, como quem não marca acaba por sofrer, já nos descontos da 1ª parte o Braga colocasse em vantagem.
 
No início da 2ª parte o belenenses continua a jogar melhor e a ser mais perigoso. Manda uma bola à trave e logo de seguida tem grande oportunidade de golo, mais uma vez bem defendida por Eduardo. No seguimento desta defesa, em contra ataque o Braga marca de novo e arruma com o Jogo.
 
Muito sofrimento, muito crer e muita organização foram essenciais para esta vitória Bracarense. Resultado final, Belenenses 1, Braga 3.
 
 
POSITIVO DA JORNADA: Braga e Académica.
 
NEGATIVO DA JORNADA: Sporting e Benfica.
 
 
 
TAÇA DA LIGA – MEIAS FINAIS Benfica e Porto encontram-se no Algarve para disputar a Final da Taça da Liga da época 2009/2010, depois de terem vencido o Sporting e Académica por 1 a 4 e 1 a 0, respectivamente.
r às 17:57

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
16
20

23
25

28


ARQUIVO
pesquisar