09
Mar 10

 

Vejam bem ao que isto chega: Com honra de 1ª página.
 
Escreve o jornal i, a respeito do violador de Telheiras, traçando o seu perfil:
 
1º - Benfiquista…. Mas afinal o que pretendem os srs. jornalistas na associação do Benfica ao perfil do violador de Telheiras??? Juro que não entendo!!!
 
Será que agora todos os Benfiquistas encaixam no “perfil” e podem ser suspeitos de violações??? Então e os adeptos do Sporting, do Guimarães, do Setúbal do Estrela da Amadora, não são para aqui chamados???? Porquê???
 
Já agora, o i descobriu que o Hannibal Lecter também era adepto do Benfica…..
  
Benfiquista, coleccionador de moedas desde criança, trabalhador-estudante e engenheiro químico, licenciado pelo Instituto Superior Técnico, Henrique Sotero teve sempre um currículo exemplar. Até se tornar suspeito de várias violações, desde 2008, em Telheiras e em outras zonas de Lisboa. Poucas semanas depois de fazer 30 anos, acabou numa cela isolada no estabelecimento prisional junto à Polícia Judiciária de Lisboa - procedimento habitual neste tipo de crimes, já que os violadores são habitualmente molestados pelos outros reclusos.
r às 14:08

 

Corte nas deduções de saúde e educação agravam imposto para 3,5 milhões de portugueses

 

Mais IRS para famílias que ganham acima de 7250  anuaisCerca de 3,5 milhões de portugueses, assalariados e pensionistas da classe média e média alta, terão, nos próximos anos, aumentos efectivos no IRS - o imposto sobre salários, rendas e juros bancários - entre os cem euros e os 700 euros anuais. A explicação é simples: as deduções ao imposto com as facturas relativa à conta da farmácia e educação, por exemplo vão passar a ter um tecto máximo. O mesmo acontecerá com as deduções de juros de habitação, Planos Poupança Reforma (PPR) e prémios de seguros de saúde.

 

Também os reformados, pensionistas serão o alvo do fisco. As deduções específicas vão diminuir, em convergência com os "descontos" dos trabalhadores, o que aumentará a pensão sujeita à taxa de imposto.

 

O Governo só poupa os agregados familiares com rendimentos até aos 7250 euros anuais. A partir deste rendimento e até aos 17 979 euros de ganhos anuais sujeitos a imposto (IRS), os contribuintes pagam uma média de cem euros. Neste caso, são mais de 900 mil contribuintes o alvo deste aumento de imposto.

 

Sob fogo cerrado do fisco estarão cerca de dois milhões de contribuintes, o "núcleo duro" da classe média portuguesa, com rendimentos entre os 18 mil euros e os 41,3 mil euros. Em média mensal, boa parte destes contribuintes vai ficar sem 13 euros, 180 euros anuais. A classe média alta - cerca de 400 mil contribuintes - é também chamada a "pagar a crise", ao liquidar, em média, entre os 390 euros e os 700 euros.

 

O ataque do fisco à carteira dos portugueses está calendarizado para 2011, com o Orçamento do Estado a apresentar em Outubro próximo. Será sob os rendimentos do próximo ano que os contribuintes vão sentir a falta de dinheiro, cujo encontro de contas (época dos reembolsos) está marcado para Março de 2012.

 

O argumento para estas alterações é o de sempre. Em 2009, as despesas do Estado superaram em 15,4 mil milhões de euros as receitas (boa parte em impostos). Ou seja, o défice foi de 9,3% da PIB e é preciso um esforço para levar o défice até 2,8% em 2013. para isso, o Governo pretende cortar 0,5 pontos percentuais do PIB às despesas sociais, enquanto pretende aumentar as receitas em 0,8 pontos percentuais. Em 2013, os impostos arrecadados pelo Estado significarão 43,6% do PIB.

 

r às 13:08

Um estudo revela que as mulheres que ingerem diariamente dois copos de vinho, cerveja ou qualquer outra bebida alcoólica correm menos riscos de engordar do que as que não bebem álcool, avança a Globo.

 

Cientistas do hospital Brigham and Women de Boston, nos Estados Unidos, falaram com 19 mil mulheres americanas sem problemas de excesso de peso, sobre a quantidade de bebidas consumidas diariamente e monitorizaram-nas durante 13 anos.

 

Nesta pesquisa, o maior grupo, com 7346 pessoas, era formado por mulheres que não consumiam bebidas alcoólicas. O segundo grupo,com 6312 pessoas, era formado por mulheres que bebiam cerca de um terço de copo de vinho, cerveja ou outra bebida alcoólica por dia, 20 por cento tomava um copo e seis por cento ingeria dois copos.

 

No período de 13 anos, as mulheres que não consumiam álcool foram as que mais engordaram, e as que tomavam o equivalente a dois copos diários foram as que ficaram mais próximas do peso ideal.

 

O vinho tinto revelou-se a bebida mais eficiente contra o excesso de peso, mas todos os tipos de álcool consumidos mostraram a mesma «associação inversa entre consumo de álcool e o risco de peso a mais ou obesidade», de acordo com o estudo.

 

Os investigadores evitaram, no entanto, recomendar o consumo de álcool como maneira de lutar contra a obesidade, devido aos problemas médicos, psíquicos e sociológicos associados ao álcool.

r às 12:55

Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
17
18
19
20

21
24
26
27

28
30


ARQUIVO
pesquisar
 
subscrever feeds