27
Jul 09

 

 
 Promoção da integração dos imigrantes.
 
·    A nova Lei da Nacionalidade incentiva a obtenção da nacionalidade portuguesa pela segunda geração de imigrantes. Até Setembro de 2008, 8.300 crianças filhas de imigrantes obtiveram a nacionalidade portuguesa, 4.000 das quais por terem concluído o 4.º ano de escolaridade em Portugal.
 
·    A nova Lei da Imigração incentiva a integração e combate a imigração ilegal.
 
·    Os direitos e benefícios sociais foram alargados a todos os imigrantes que se encontrem legalmente em Portugal. Desde 2006, todos têm direito de acesso ao Serviço Nacional de Saúde, ao abono de família, ao subsídio de desemprego e ao rendimento social de inserção.
 
 As políticas de qualificação: educação, ciência, cultura
 
Um dos grandes problemas estruturais do país consiste no seu défice de qualificações. É causa de desigualdades e de menor competitividade. Todos o reconhecem. Mas ninguém tinha enfrentado este problema de forma tão determinada, profunda e sistemática como o Partido Socialista. O inglês no 1.º ciclo, as aulas de substituição, a generalização dos computadores, a explosão do ensino profissional, o programa Novas Oportunidades, a internacionalização do ensino superior são apenas algumas das marcas que ficam e que espelham bem a autêntica revolução operada neste sector. Fruto destas reformas, as próximas gerações estarão inequivocamente melhor preparadas para lidar com os desafios de amanhã.
  
Aposta na educação e na formação
 
·        Mais e melhor serviço público de educação. Em todo o ensino básico e secundário, garantimos as aulas de substituição. Lançámos o programa de modernização do parque escolar. Aumentámos a rede de educação pré-escolar nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto.
 
·        Uma aposta decisiva no 1.º ciclo. Entre 2006 e 2008, foram extintas 2.200 escolas com poucos alunos e más condições, que condenavam as nossas crianças ao insucesso. Em alternativa, lançámos centros escolares com bibliotecas, refeitórios e instalações desportivas. Generalizámos o fornecimento de refeições escolares (passando de 30% para 94% das escolas). E concretizámos o princípio da escola a tempo inteiro (até às 17h30, com oferta de actividades de enriquecimento curricular).
 
·        Modernização da organização e a gestão escolar. A colocação de docentes passou a ser plurianual, favorecendo a estabilidade e a continuidade pedagógica. O novo regime de gestão escolar reforça a figura do Director e garante maior participação dos pais e das autarquias. O novo Estatuto do Aluno combate o absentismo escolar e reforça o poder disciplinar.
 
·        Enriquecimento da oferta educativa. Generalização a todas as escolas do 1.º ciclo o ensino do inglês, estudo acompanhado, música e actividade desportiva. Foi lançado o Plano Nacional de Leitura e o Plano de Acção para a Matemática. Reforçámos o ensino artístico (+ 40% de alunos de música).
 
·        Combate ao insucesso e o abandono escolar. Baixou a taxa de insucesso (em 2007/2008, atingiram-se os valores mais baixos da última década). Entre 2005 e 2008, a taxa de abandono precoce desceu de 39% para 36%.
 
·        Mais apoios sociais. Alargamento e simplificação do acesso à acção social escolar (o número de beneficiários cresceu de 240 mil para mais de 700 mil). Refeições gratuitas e pagamento integral dos manuais escolares de aquisição obrigatória para famílias com menores rendimentos.
 
·        Mais formação. Criámos o Programa Novas Oportunidades. Desenvolvemos o ensino secundário profissional (91 mil alunos, triplicando o valor de 2005).
 
·        Massificação do uso das novas tecnologias. Programa e-escola (500 mil computadores entregues até Maio de 2009). Programa e-escolinha (350 mil computadores Magalhães distribuídos até Maio de 2009). Plano Tecnológico na educação: redes intranet nas escolas; computadores (310 mil); videoprojectores (25 mil); quadros interactivos (9 mil); cartões electrónicos; sistemas de videovigilância.

 

r às 12:34

 

Promoção da igualdade de género
 
·    Aprovação da Lei da Paridade. A lei fixa em um terço a representação mínima para ambos os sexos nas listas eleitorais e determina a impossibilidade de apresentação, na ordenação das listas, de mais de dois candidatos do mesmo sexo colocados consecutivamente.
 
·    Conciliação da vida familiar e da vida profissional. Aumentou para 10 dias a licença obrigatória para o pai, aquando do nascimento de filho. Criou-se uma licença adicional opcional, desde que gozada simultaneamente pelos dois pais.
 
·    Combate à violência doméstica. Alargamento da rede nacional de apoio às vítimas de violência doméstica, com núcleos de atendimento em todos os distritos. Criação de um crime específico de violência doméstica e a aprovação da lei contra a violência doméstica.
 
·    Fim das discriminações de género na carreira militar.
·    Reforço do apoio público às iniciativas de promoção da igualdade de género. O Quadro de Referência Estratégico Nacional aumenta significativamente o apoio financeiro às políticas de igualdade de género.
 
 Apoio aos jovens
 
·        Facilitação no acesso à habitação. Apoio ao arrendamento jovem, através do programa Porta 65. Em 2008, 34 mil jovens foram apoiados, ao abrigo de programas de apoio ao arrendamento.
 
·        Combate à precariedade e promoção do emprego. Com a reforma laboral, acabaram os estágios profissionais não remunerados e consagrou-se a presunção de contrato de trabalho, no quadro do combate aos falsos recibos verdes. Foram reforçados os estágios profissionais para jovens, atingindo, em 2009, 37.000. E foram lançados instrumentos de apoio à criação do próprio emprego por desempregados e à integração de 30.000 desempregados em instituições não lucrativas.
 
·    Investimento na educação: empréstimos para estudos superiores; passe escolar até aos 23 anos e intensificação da acção social escolar; acesso a computadores e a ligação à Internet em banda larga; programa Novas Oportunidades.
 
·    Apoio à prática desportiva. No âmbito das actividades de enriquecimento curricular, a educação física e o desporto passaram a fazer parte do 1.º ciclo. Melhorámos as infra-estruturas públicas para a prática desportiva, designadamente através do programa de construção de mais de 200 mini-campos desportivos polivalentes e através do programa de dotação, com campos relvados, dos 80 municípios que ainda não os possuíam.
r às 12:27

 

Tal como anunciado em Post de dia 20 Julho, o Metro na Amadora vai ganhar mais 3 Estações, a saber: Atalaia, Amadora-Centro e Hospital.
 
A Linha Azul do Metropolitano de Lisboa vai ganhar três novas estações no concelho da Amadora, com um investimento de 240 milhões de euros que a autarquia espera ver concluído em 2014. A expansão da linha, num total de 2,5 quilómetros, inclui paragens na Atalaia, Amadora-Centro e Hospital Amadora-Sintra.
 
 
r às 11:08

Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12

19
25

26


ARQUIVO
pesquisar
 
subscrever feeds