28
Jul 09

 

O impulso reformista e modernizador do Partido Socialista
 
  Modernização do ensino superior
 
·        Concretização do Processo de Bolonha. Aprovado o novo regime de graus e diplomas. Facilitada a mobilidade de estudantes entre as instituições do ensino superior.
 
·        Mais estudantes no ensino superior. O número de jovens com 20 anos inscritos no ensino superior cresceu 15% entre 2005 e 2009. E abertura do ensino superior a novos públicos, através do regime de acesso para maiores de 23 anos.
 
·        Mais apoios sociais. Reforço da acção social escolar e criação de empréstimos para estudantes do ensino superior, com aval do Estado, período de carência e bonificação de juros.
 
·        Novo sistema de governo das instituições do ensino superior. O novo modelo reforça os poderes das lideranças (reitores, presidentes ou directores). O ensino público e o privado passam a estar sujeitos ao mesmo regime, com maior exigência quanto à qualificação do corpo docente.
 
·        Internacionalização do ensino superior. Acordos celebrados com o MIT, a Universidade de Harvard, a Universidade de Austin, Texas, e a Universidade de Carnegie Mellon. Destaque-se ainda a entrada em funcionamento do Lisbon MBA, fruto da colaboração entre duas universidades portuguesas e o MIT, que promove o ensino da gestão a um nível de excelência internacional.
 
·        Mais exigência e prestação de contas nas instituições. O novo sistema de avaliação das instituições e cursos é dirigido por uma agência independente. Foram encerradas várias instituições de ensino superior que deixaram de preencher os requisitos necessários.
 
Desenvolvimento do sistema científico e tecnológico
 
·        Mais financiamento público e privado para a I&D. A despesa com I&D aumentou de 0,8% do PIB em 2005 para 1,2% em 2008. Reposição, em 2005, o regime de incentivos fiscais à I&D nas empresas e reforço em 2009 (pode atingir até 82,5% do investimento).
 
·        Incremento do emprego científico. Aumentou o número de investigadores (de 3,8 por mil activos em 2005 para 5 por mil em 2007). Em 2007, 65% do total do corpo docente universitário era constituído por doutorados (contra 43% em Janeiro de 2005).
 
·        Internacionalização da comunidade científica portuguesa. Aumentou o número de artigos de investigadores portugueses em publicações científicas internacionais. Aumentou o número de patentes portuguesas registadas na Europa e nos Estados Unidos. Criámos, em conjunto com Espanha, o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, localizado em Braga.
 
·        Promoção da cultura científica e tecnológica. A rede nacional de Centros Ciência Viva integra 18 centros (eram 10 em 2005). O programa Ciência Viva na Escola apoia mais de 1.000 projectos de ensino experimental das ciências. Lançamento do programa de estágios do ensino secundário em laboratórios de investigação (já mobilizou 7.000 jovens).
r às 12:19

Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12

19
25

26


ARQUIVO
pesquisar